POLÍTICA DE PRIVACIDADE DR. DIOGO SIMÃO

©  2018 todos direitos reservados. Conteúdo & Design por MECOMUNICA:  contato@m3comunica.com

  • Dr. Diogo Simão

Nutrientes que previnem o câncer de mama


Outubro é o mês de conscientização do câncer de mama, o segundo tipo de câncer mais comum no Brasil. A doença tem tratamento, basta diagnosticá-la ainda na fase inicial. O auto exame é muito importante para conferir se há algum nódulo ou anormalidade nas mamas, mas encontrar um nódulo não quer dizer que seja um câncer. Só um médico pode fazer o diagnóstico após exames. Além disso, há formas até mesmo para evitar seu aparecimento. A suplementação de alguns nutrientes pode prevenir ou, em alguns casos, até ajudar a tratar o câncer em associação aos tratamentos comuns. O Selênio é um anti-inflamatório e antioxidante que protege as células do estresse oxidativo. Além de prevenir o câncer de mama, auxilia no tratamento pois diminui a resistência das células à quimioterapia e diminui seus efeitos colaterais.  Consuma de 2 a 3 castanhas por dia. A suplementação de vitamina C em pacientes com câncer de mama diminui em 38% o índice de recorrência da doença. Consulte um médico nutrólogo para a correta suplementação desta vitamina, pois em excesso pode fazer mal. Pesquisas mostraram que o DIM (Di-Indol Metano), substância presente nos alimentos da imagem, diminui a inflamação dos órgãos do corpo e induz a auto-destruição de células potencialmente cancerígenas, impedindo o desenvolvimento de um câncer. O DIM também é capaz de regenerar o DNA celular, evitando sua reprodução descontrolada e consequente formação de tumores. A vitamina D além de diminuir a incidência de câncer de mama, em altas quantidades, reduz o risco de metástase e protege o corpo contra os efeitos colaterais da quimioterapia. Manter hábitos saudáveis é a melhor forma de prevenir o câncer de mama, o que inclui uma dieta rica em nutrientes (como os mencionados acima), atividade física regular, pouca ingestão de bebidas alcoólicas e nenhum cigarro. A atividade física e o aleitamento são considerados os principais fatores de proteção contra a doença.